Sarron.com - Teatro & Companhia

As pessoas vão ao Teatro porque sabem que nessa noite o homem pode cair do trapézio (Orson Welles)

5.22.2006

Noites Quentes em Gamboa



Começou morna mas acabou bem animada a derradeira noite do Gâmboa. Talvez acusando o cansaço de duas noites de paródia, a multidão que se juntou na marginal da cidade da Praia levou tempo a aquecer

Lura deu o impulso que se esperava já por volta da uma da manhã e daí em frente, com Netinho de Paula, Dom Kikas e Gylito, a festa seguiu embalada até ao sol raiar. Vestido com nova roupagem, o Gâmboa, ainda que com um cartaz pouco surpreendente, saldou-se positivo. A feira gastronómica e o Palco 2 trouxeram uma nova dinâmica ao evento, que, segundo, o presidente da Câmara da Praia, é para continuar no próximo ano.
Era já manhã quando o pano desceu sobre o Gâmboa 2006. O sol aquecia os rostos cansados, mas felizes, dos resistentes que aguentaram até às 07 horas para ver Gylito.

A noite começara fresca com as cerca de dez milhares de pessoas, que se começavam a acumular em frente ao palco, a mostrarem-se um pouco apáticas.
Bandaliada e Rosa Mestre foram os primeiros a pisar o palco, ainda muita gente descia as ladeiras da cidade na direcção do areal. Seguiram-se os Bulimundo, que tiveram uma actuação muito aquém do que seria de esperar. O público continuou morno, pouco participativo, mas sem arredar pé. Nesta altura, as atenções estavam mais concentradas nos comes e bebes. A feira gastronómica, uma das apostas ganhas do Gâmboa 2006, estava numa roda-viva: mesas cheias, pratos para todas as bocas e muita bebida a sair. O negócio, pelo que disseram alguns dos donos dos restaurantes ao “ASemanaonline”, correu bem. Os clientes também não tiveram razões de queixa. Da pequena esplanada que se montou atrás do palco, podia ouvir-se os artistas, sem grandes apertos, trocar dois dedos de conversa e, claro, reconfortar o estômago.
Foi Lura, já perto da uma da manhã, que despertou a plateia. Vestida de amarelo e verde, e muito sorridente, a cantora revelou-se uma “show-woman”. Dançou, brincou, provocou, distribuindo energia suficiente para incendiar cada um dos festivaleiros.
“Uma experiência fantástica” esta estreia no Gamboa, disse a cantora ao “ASemanaonline” no final do espectáculo, não obstante ter-se sentido muito afastada do público já que o palco estava a uma distância considerável das primeiras pessoas que compunham a plateia. De facto, essa foi uma das notas negativas a registar neste festival. Os artistas quase não viam o público, o que terá em alguns casos prejudicado a interacção com os seus fãs.

Factor que não afectou o “show” de Netinho de Paula, pagodeiro que apresenta um programa na televisão Rede Record, canal brasileiro emitido também em Cabo Verde. Para além de fazer toda a gente tirar o pé do chão, Netinho fez o público soltar muitas gargalhadas com um concurso intitulado “Quem vai casar com o negrão?” Quatro jovens cabo-verdianas competiram, em palco, pelo “coração” do apresentador brasileiro, passando por várias provas divertidas - entre danças e perguntas picantes -, que levaram o público ao rubro.
Rui Sangará, músico guineense que pouco conseguiu animar a malta a não ser um grupo de seus compatriotas que saltaram do início ao fim do seu show, teve a tarefa ingrata de preceder um dos artistas mais aguardados: Dom Kikas. O músico angolano, que faz sucesso nas pistas de dança de Cabo Verde, arrebatou corações, numa actuação que terminou já de dia, mas ainda com muito público.
Gylito fechou o festival, juntando menos gente do que Gil Semedo no ano passado, mas ainda assim em clima efusivo apesar do adiantado da hora.
Envergando uma nova roupagem, o festival acabou por se saldar com nota mais do que positiva, pelo que auscultou “Asemanaonline” nesta última noite junto do público que encheu o areal. Se esta foi a derradeira edição ou não, fica no ar a dúvida, mesmo que Filú tenha proclamado que “Gamboa é para sempre”. O que é certo é que mesmo sem um cartaz extraordinário, e com um alinhamento que poderia ter sido mais bem delineado, o Gâmboa parece ter pernas para andar neste novo formato.

in: asemana online

2 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial